Diário de Bordo

Língua polonesa em comunhão

A Marta é agricultora familiar e faz parte de uma comunidade de descendentes de poloneses que vive nas cidades de Casca e Santo Antônio do Palma, no norte do estado. Ela nos contou que a comunidade tem tentando manter vivo o hábito de preservar a língua polonesa na região nas missas e tradições natalinas. Além disso, contou sobre sua experiência de aprender a língua em viagem para a Polônia, com a finalidade de difundi-la ao voltar para o Brasil. Marta ainda nos apresentou algumas tradições, canções típicas e expressões da língua polonesa que estão presentes no cotidiano da comunidade.

Segundo o colegiado da Diversidade Linguística do RS, “tão logo o polonês ficou assentado no Rio Grande do Sul, pioneiramente no atual município de Carlos Barbosa, o imigrante procurou aos seus filhos ensinar a língua polonesa, bem como, outros saberes. Em capelas, escolas toscas ou nas casas de agricultores, a alfabetização na língua polonesa foi praticada, respeitando as declinações, tal como a gramática mandava. Antes dos anos vinte do século XX, havia mais de 100 escolas, onde o ensino era conduzido em língua polonesa”.

O polonês é uma das línguas que integram nosso projeto Sons do Sul – uma cartografia linguística! Entra lá no site sonsdosul.com.br pra acompanhar nosso diário de bordo! Lançamento em setembro.

Você também pode gostar...