Diário de Bordo

A colônia japonesa de Ivoti

Chegamos em Ivoti em um sábado ensolarado, perfeito para uma partida de gateball, jogo tradicional do Japão e que naquela tarde era motivo de reunião de gerações de imigrantes japoneses habitantes de Ivoti e da região do vale do Sinos, no Rio Grande do Sul. Na colônia, criada nos anos 1960, a língua japonesa é mais falada que o português. A Arima, uma das matriarcas e guardiã de muitas histórias da colônia, só arrisca umas palavras em português quando vai atender os turistas na lojinha. E é constante o número de visitantes que passam a tarde por lá, impulsionados pela cultura pop do Japão.

Na colônia, visitamos um memorial com muitos objetos da agricultura e da cultura japonesa que datam do início do século 20. Também vimos a quadra de tênis de mesa, o jardim super bem planejado e a escola, mantida com muito carinho pela professora Iaioi Tao.

Iaioi fala com muito orgulho da colônia e é muito grata ao investimento que o governo do Japão aplica na escola. Professora de japonês, ela conta que ensina não só as crianças nipo-brasileiras, mas todo mundo que chega interessado na língua. Iaioi nos ensinou muita coisa nessa tarde!

Você também pode gostar...